Saiba como evitar as manchas de melasma durante a gravidez por Natália Nery

Saiba como evitar as manchas de melasma durante a gravidez

O melasma é uma doença crônica de pele que é caracterizada por manchas marrom-acinzentadas na face, ocorrendo principalmente nas bochechas, nariz, testa e acima do lábio superior. Contudo, ele também pode aparecer em outras partes do corpo, como nos braços e no pescoço.

De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, 90% dos indivíduos com melasma são mulheres entre as idades de 20 a 50 anos de idade. Para a maioria delas trata-se de uma condição extremamente frustrante, já que clareia com uso de cremes, filtros solares e tratamentos estéticos, mas que pode recorrer com exposição mínima ao Sol.

A relação dos hormônios e o melasma

Mulheres com melasma têm melanócitos (células produtoras de melanina) “hiperfuncionantes”, ou seja, eles tendem a produzir mais pigmento ou são muito sensíveis a estímulos hormonais como na gravidez, o uso de anticoncepcional, terapia de reposição hormonal, hipotireoidismo (condição na qual a glândula não produz hormônio suficiente para o funcionamento da tireoide), e principalmente a estímulos físicos, como radiação ultravioleta.

Cuidados com a exposição solar

O Sol é o principal gatilho para a formação de manchas escuras. Por isso, é fundamental o uso de protetor solar de forma rigorosa para a prevenção do melasma. O correto é reaplicar o protetor fator mínimo 30, no mínimo, de duas em duas horas. Além disso, é importante usar outros artefatos para se proteger, como sombrinha, boné e chapéus.

Hoje, no mercado temos diversas opções de protetores solares: em base, em pó, antienvelhecimento, antioleosidade, dentre outras opções que podem ser encontradas inclusive usando o aplicativo Qual Farmácia. Então, não temos mais desculpa para não usar! Procure seu médico dermatologista, pois ele pode te auxiliar a encontrar aquele que mais se adapta a sua pele.

Como evitar?

Alguns estudos mostram que a deficiência de folato (importante nutriente para o crescimento do tecido, desenvolvimento das células e a manutenção da pele, das unhas e do cabelo) pode estar relacionada à hiperpigmentação. Portanto, incluir na sua dieta vegetais de folhas verdes, laranja, pão de trigo integral e cereais integrais, que são ricos nesta vitamina, podem auxiliar na prevenção das manchas.

Também é bom evitar o uso de produtos que irritam a pele, pois isso pode piorar o melasma.

Outro fator importante a destacar é que o melasma não tem cura, por causa da dificuldade em reduzir o pigmento, das questões hormonais, genéticas e da tendência de recorrência. O uso de clareadores é recomendado para o tratamento da doença. Alguns deles, como a vitamina C e o ácido azeláico, que tem ação clareadora e age nos melanócitos, podem ser usados durante a gravidez e no aleitamento. Após o parto, é bem comum que o melasma possa desaparecer espontaneamente em algumas mulheres.

E você já sofreu ou conhece alguém que sofre com o melasma? Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe aqui embaixo o seu comentário! Compartilhe este artigo entre seus amigos e familiares!

Aproveite para baixar o Qual Farmácia no seu celular e comprar produtos que melhoram a saúde da sua pele.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar