por Qual Farmácia

Por que o uso de antibióticos exige prescrição médica?

Você tem costume de se automedicar? Por trás dessa prática, você sabe que ao invés de tratar uma doença, pode acabar comprometendo a sua saúde? Parecem perguntas óbvias, porém muitas pessoas ignoram os malefícios que a automedicação pode gerar em médio e longo prazo.

E quando o assunto diz respeito ao uso indiscriminado de antibióticos, os perigos são ainda maiores! Por isso, nesse artigo, falo como os antibióticos atuam no organismo e qual é a importância da orientação médica para ingeri-los.

Ação no organismo

Os antibióticos são medicamentos de origem natural (produzidos por fungos ou bactérias) ou sintéticos, utilizados para combater infeções causadas por bactérias. Eles atuam inibindo o crescimento de micro-organismos (classificados como Bacteriostáticos) ou causando a morte destes (classificados como Bactericidas).

O primeiro antibiótico foi descoberto no ano de 1928 e, desde então, essa classe de medicamentos vem sendo uma grande aliada no combate de diversas enfermidades causadas por infecções. Logo, apenas médicos podem prescrevê-los.

Receita médica

A prescrição de antibióticos deve ser realizada em modelo privativo do médico ou do estabelecimento de saúde, não havendo modelo específico de receituário. A receita deve ser prescrita de forma legível e sem rasura, em 2 (duas) vias, contendo:

–  Identificação do paciente (nome completo, sexo e idade);

– Nome e concentração do medicamento, quantidade e modo de uso;

– Dados do médico emissor (nome completo, inscrição no Conselho de Medicina ou nome da instituição com endereço, telefone, assinatura e carimbo).

Informar os dados de sexo e idade na receita visa o aperfeiçoamento do monitoramento do perfil farmacoepidemiológico. Isso representa dizer que se trata do estudo do uso e os efeitos dos medicamentos em um grande número de pessoas, realizado por meio de escrituração no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC).

Outro ponto indispensável é a validade da receita. Ela tem o prazo de 10 dias a contar a partir da data da emissão, sendo válida em todo território nacional.

Compromisso do farmacêutico

A farmácia só pode vender o que foi prescrito na receita. Assim, o farmacêutico deve disponibilizar a quantidade exata para o tratamento. Caso haja a entrega em quantidade inferior dos medicamentos pode acarretar na ineficácia do tratamento, contribuindo ainda para o aumento da resistência bacteriana e comprometimento da saúde do paciente.

Já em quantidade superior, realizada somente casos estritamente necessários, pode provocar na sobra de medicamentos para o paciente e eleva o risco de automedicação, bem como consequência em relação ao descarte de medicamentos.

Venda via remoto

Assim como o aplicativo Qual Farmácia funciona, a venda de antibióticos via remoto (telefone/ internet) é permitida desde que haja a retirada da receita na casa do paciente ou caso o paciente vá até a loja retirar o produto.

Dessa forma, o medicamento só pode ser entregue após a conferência feita pelo farmacêutico na Drogaria/Farmácia.

Os riscos dos antibióticos

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que o uso indiscriminado de antibióticos acarreta resistência aos medicamentos. Só em 2012, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) registrou quase 10 mil casos de bactérias resistentes a remédios nas UTIs do País.

Os antibióticos agem de forma não-seletiva, eliminando micro-organismos patogênicos (causadores de doença) e simultaneamente bactérias benéficas ao nosso organismo. Essas bactérias “boas” são responsáveis pelo bom funcionamento do nosso corpo.

Ao fazer uso de antibióticos sem orientação médica pode gerar, por exemplo, uma severa devastação na flora intestinal, ocasionando efeitos indesejáveis gastrointestinais como: diarreia, flatulência, obstipação (dificuldade ou redução no número de evacuações), inflamações e até problemas de absorção dos nutrientes.

Por isso, não brinque com sua saúde! Em qualquer urgência, busque auxílio médico e não tome medicamentos por conta própria. A orientação adequada quanto ao tratamento pode garantir a eliminação da infecção e diminuir as chances das bactérias ficarem resistentes aos fármacos.

Mas, caso precise comprar seus medicamentos, use o app Qual Farmácia!

Priscilla Queiroz – Farmacêutica

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar