Por que é tão importante dormir bem? por Qual Farmácia

Por que é tão importante dormir bem?

Puxar um ronco, tirar uma soneca da beleza, tirar um cochilo ou uma cesta pós almoço… Não importa como você chama, mas dormir além de ser uma atividade prazerosa, também se trata de uma necessidade fisiológica que deve ser respeitada por todos. Afinal, esse é um mecanismo do organismo que contribui para o bom funcionamento do corpo e da mente.

Porém, ao longo da história, muitos mitos surgiram em torno desse tema. E, até hoje, muitas pessoas se questionam, por exemplo, se é verdade que é preciso ter oito horas de sono para ficarmos bem. Por esse motivo que nesse post, vamos desmistificar esse e outros aspectos sobre o porquê dormir bem é tão importante.

A melatonina e o relógio biológico

Você sabia que existe um hormônio responsável pelo sono? A melatonina é uma substância que além de regular essa atividade, também é capaz de controlar as respostas do cérebro às variações da luz. Ou seja, trata-se de um mecanismo interno que se repete regularmente num período de 24 horas, auxiliando o nosso organismo a se adaptar, por exemplo, ao dia e à noite.

Por essa razão que o termo relógio biológico é usado para denominar esse ciclo do organismo. É ele que faz com que sintamos necessidade de dormir, acordar, comer e também de outras atividades do corpo, como regular a temperatura corporal, a secreção de hormônios, variações da pressão arterial, entre outros.

Mas quando esse ciclo é interrompido por mudanças de fuso horário devido a viagens, por exemplo, é comum que muitas pessoas sofram para reajustar o seu relógio biológico. O que pode provocar sonolência diurna, irritabilidade e falta de concentração. Em casos mais severos, levando à depressão e a outros distúrbios do sono.

Hormônios e metabolismo em dia!

É sabido que uma boa noite de sono é revigorante. Pois é durante o sono que o cortisol (o hormônio do estresse) está no seu nível mais baixo e há maior produção de serotonina (hormônio que regula o sono, o humor e o apetite). Nessa ação combinada, essas substâncias auxiliam no relaxamento da musculatura, melhorando o descanso. E ainda contribuem para que o corpo não acumule gordura e o indivíduo acorde de bom humor.

Nesse processo, as células e proteínas também ganham uma forcinha extra, o que fortalece o sistema imunológico, regula as funções metabólicas e melhora o fluxo sanguíneo. Assim, o organismo continua trabalhando para desintoxicar, recuperar os tecidos e acaba oferecendo outras vantagens também à pele. Enquanto dormimos as células da pele produzem colágeno, deixando-a mais bonita, viçosa e saudável.

Dormir para crescer e aprender

É isso mesmo: o sono também é extremamente benéfico para as crianças. No período do sono há a liberação do hormônio do crescimento, mais conhecido como GH. O GH é responsável por fortalecer os ossos, as articulações e os músculos. Contudo, ele só é liberado na fase REM (tradução para Movimento Rápido dos Olhos) do sono, estágio em que ocorre os sonhos.

Na infância, outro aspecto fundamental é que o sono colabora no processo de aprendizagem. Isso acontece porque ele ajuda a armazenar e a memorizar o conhecimento obtido durante o dia. Bem como melhora a produtividade e a criatividade, elementos essenciais para o desenvolvimento saudável das crianças. Mas, para que isso ocorra é necessário que os pais estabeleçam uma rotina diária que permita a criança deitar cedo, principalmente, para desfrutar melhor das horas de descanso.

Prejuízos da privação do sono

Pesquisadores da Universidade de Campinas em São Paulo (Unicamp) descobriram que doenças podem estar associadas ao pouco sono. O estudo revelou que dormir menos de oito horas diárias pode ser um fator de risco para o surgimento de doenças cardiovasculares, por exemplo. Além disso, dormir pouco leva à piora da ação e da resistência à insulina, o que pode gerar outras patologias no futuro, como a obesidade e a diabetes.

Outra pesquisa aponta que as pessoas que têm dificuldade para dormir também tendem a acumular uma substância que é relacionado ao mal de Alzheimer. No entanto, é preciso realizar mais estudos para determinar por que isso acontece e se as alterações do sono podem prever os problemas de memória causadas pela doença, é o que afirma o autor do estudo Yo-El Ju, da Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis.

Como dormir melhor?

Estabelecer um ritual diário é essencial para dormir bem. Por isso, pela noite, diminua o ritmo das atividades e escolha um horário para começar a se preparar para dormir. Nesse sentido, vale optar por ver e ler sobre assuntos leves e divertidos; evitar consumir comidas pesadas, ingerir bebidas alcoólicas e não abusar de refrigerantes e café. E, quando estiver próximo de se deitar, também pode ser relaxante tomar um banho quente.

O importante é que cada pessoa encontre uma rotina diária e noturna que se adeque as suas necessidades. Para algumas pessoas, talvez, seja necessário apagar as luzes e deixar o ambiente completamente escuro. Para outras, escutar música é uma excelente forma de pegar no sono. O ideal, de fato, é manter horários regulares para deitar e acordar. Assim, o corpo se adaptará ao longo do tempo.

Para aquelas pessoas que têm dificuldades ou problemas para dormir, é recomendado procurar a orientação médica. Atualmente, já existem clínicas totalmente voltadas à investigação do sono. Em muitos casos podem ser observados inúmeros fatores para a incidência desses distúrbios do sono.

Gostou do texto? Aproveite e compartilhe com seus amigos e familiares! O blog Qual Farmácia tem as melhores dicas para você cuidar da sua saúde.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar