o tempo seco e chamadas doenças ites por Flávia Souto Kalil

O tempo seco e as chamadas doenças “ites”

Rinite, sinusite, amigdalite, bronquiolite, bronquite, conjuntivite… Ufa! São tantos diagnósticos e doenças para tentar entender que, para alguns, pode se tornar uma preocupação.

Mas não tem jeito, a melhor maneira de diminuir nossa agonia a respeito é nos informando e conhecendo suas causas e consequências. E como já diziam os mais sábios: ainda é melhor prevenir do que remediar.

O período da seca, velho conhecido dos moradores da capital e também de outras cidades de nosso país, traz incômodos e padecimentos.

A chamada umidade relativa do ar é a relação entre a quantidade de água existente no ar e a quantidade máxima que poderia haver na mesma temperatura. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os níveis ideais de umidade do ar se situam entre 40 a 70%.

Efeitos da seca no organismo

E por que afinal a baixa umidade do ar influencia tanto no organismo humano?

O principal mecanismo fisiológico para controle da temperatura do corpo é a sudorese (produção de suor), ou seja, perdemos água para o ambiente. Logo, quando a umidade do ar está muito baixa, perdemos proporcionalmente mais líquido.

Esse processo resulta em ressecamento e desequilíbrio de nossos órgãos e sistemas, como pele, olhos e vias respiratórias.  Nesse período há um importante aumento das doenças respiratórias, tanto por ação direta do ar seco como por aumento da concentração e dificuldade de dispersão de poluentes e microrganismos, os vírus e as bactérias.

As crianças e os idosos são os que mais sofrem com as ações da baixa umidade. Porém, os adultos, principalmente, aqueles que já tem asma ou outra doença crônica também podem ser gravemente afetados.

A baixa umidade torna o muco respiratório mais espesso, mais grosso. Essa secreção com função de lubrificar e expulsar corpos estranhos, microrganismos, poluentes, deixa de ser tão efetiva.  A mucosa respiratória seca torna-se mais sensível e mais exposta a todos esses fatores citados, propiciando inflamação e sangramentos. A inflamação crônica gerada no nariz é uma das causas da doença mais frequente do período da seca, a rinite.

Amenizando os sintomas da secura

Para prevenir ou evitar os sintomas da seca, em primeiro lugar é necessário manter-se hidratado, tanto pelo aumento da ingestão de líquidos como pelo uso de soro fisiológico no nariz e nos olhos e uso de cremes hidratantes na pele.

Além disso, também é indicado o uso de umidificadores, toalhas úmidas no quarto e manter a limpeza dos ventiladores e ar condicionado. Nesse contexto, vale evitar o uso de cigarro, já que o tabaco por si só provoca problemas respiratórios e escolher fazer atividades físicas fora dos horários de pico em que o sol está “mais quente”.

Essas medidas permitem que o desconforto seja amenizado e evitam que as doenças se manifestem. Caso os sintomas persistam, procure uma consulta médica para verificar se nenhuma “ite” já tenha se instalado.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar