Novo remédio promete ajudar pacientes com enxaqueca por Qual Farmácia

Novo remédio promete ajudar pacientes com enxaqueca

Quem sofre com a enxaqueca sabe que a condição é caracterizada pela dor forte, latente e constante em apenas um dos lados da cabeça, que em momentos de crise demora dias a ir embora. Atualmente, o que dificulta ainda mais no tratamento da doença, é que não existem remédios específicos para o distúrbio. O que leva, muitas vezes, a um quadro crônico da doença.

No entanto, em breve, essa realidade poderá ser diferente. Pesquisadores da King’s College de Londres, do Reino Unido, estão desenvolvendo um novo medicamento exclusivo para controlar as crises de enxaqueca. Em testes, o fármaco além de se mostrar eficaz, também manifestou poucos efeitos colaterais nos pacientes.

Como funciona

O Erenumabe, como foi intitulado o remédio produzido pelo laboratório Novartis, é um anticorpo monoclonal sintetizado em laboratório. Geralmente, o anticorpo monoclonal se trata de uma proteína usada pelo sistema imunológico para identificar e neutralizar corpos estranhos, que podem ser bactérias, vírus ou mesmo células tumorais.

Nesse caso, essa proteína irá atuar contra o peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGPR), uma molécula orgânica relacionada ao desencadeamento das crises de enxaqueca. Uma vez no organismo, a nova molécula se une à CGPR e impede as dores de cabeça e seus outros sintomas.

De acordo com os cientistas, a vantagem desse medicamento é a ausência de reações adversas que outras fórmulas causam, como a queda dos cabelos, alterações no peso, déficit cognitivo e, até mesmo, problemas cardiovasculares.

Estudo

Ao todo, 955 pacientes participaram dos testes. Durante a investigação, dois terços dos participantes tomaram injeções mensais do medicamento, enquanto o restante ficou no placebo (uma substância neutra, normalmente, composta por uma pílula de açúcar que pode ser administrada no lugar da substância que está sendo avaliada).

Quatro meses depois, o grupo que recebeu a solução com a nova molécula sentiu que as crises de enxaqueca caíram para menos de quatro a cada 30 dias. Proporcionando uma melhora significativa na qualidade de vida dos indivíduos, já que a intensidade das dores também se mostrou mais amena.

Estima-se que o medicamento chegue ao público até 2019, no formato de injeções mensais, com valor e indicação ainda a serem definidos.

Para conviver bem com a enxaqueca

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% da população mundial sofre com a enxaqueca, que pode ser ocasionada por alterações hormonais, bem como a ingestão excessiva de substâncias que estimulam o seu surgimento, como a cafeína, derivados do leite e chocolate.

Contudo, é possível aprender a conviver com a condição. A melhor maneira de controlar as crises é adotando uma série de medidas preventivas durante o dia-a-dia, seja por uma alimentação mais saudável e equilibrada ou pela prática regular de exercícios físicos.

Além disso, é fundamental procurar a orientação médica para não se autodiagnosticar a qualquer sintoma e, consequentemente, acabar se automedicando.

Gostou dessa novidade? Compartilhe com seus amigos e familiares e não deixe de acompanhar toda semana a coluna de Saúde e Tecnologia!

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar