por Qual Farmácia

Farmacêutico: o lado bom da profissão

Olá leitores! Sou Priscilla Queiroz, formada em Farmácia e atuo na área de Drograria há 2 anos. E, hoje a convite do time Qual Farmácia, vim compartilhar um pouco sobre esse encantamento que tenho por essa profissão tão singular.

Ao escolher Farmácia como profissão, eu já sabia que tinha uma responsabilidade enorme em minhas mãos. Não somente porque a atividade exige muita dedicação para com a sociedade, mas também por causa de minha família que é tradicional neste ramo. Logo, sempre soube desde cedo que quando chegasse a hora de escolher um curso, muito de mim teria inclinações para eleger este trabalho como missão.

E aqui estou: farmacêutica! Ser jovem nesta carreira é extremamente desafiador. Normalmente, as pessoas têm uma visão de que somente indivíduos mais velhos podem estar neste posto. Talvez, porque a profissão realmente seja muito antiga. Porém, hoje em dia, esta atividade reúne uma infinidade de tarefas no mercado para além daquela pessoa que vemos como atendente de um estabelecimento de farmácia.

A importância do farmacêutico

O farmacêutico é um profissional dotado de conhecimentos técnicos, a respeito dos medicamentos utilizados na prevenção e no tratamento de diversas doenças. Ele é responsável por prestar assistência farmacêutica para a população, visto que o médico, muitas vezes, não domina o assunto e a sociedade necessita que haja a união das classes.

Isso quer dizer que o médico diagnostica a patologia do paciente e o farmacêutico sana dúvidas sobre o tratamento prescrito e presta orientações quanto ao modo de uso, as possíveis interações e reações adversas. Objetivando a minimização de erros de administração, possibilitando assim a eficácia no tratamento.

Na medicina, o profissional desta área contribui para a redução nos índices de morbidade e mortalidade, relacionados ao tratamento medicamentoso. No ano de 2013, de acordo com o Ministério da Saúde, 70% dos casos de internação por problemas ligados ao uso de medicamentos foram considerados evitáveis, e tal acontecimento seria evitado com o farmacêutico prestando assistência para o paciente, no balcão de uma Farmácia.

Responsabilidades do profissional

A profissão de farmacêutico possui um leque muito grande de atuação, que pode chegar a 78 áreas diferentes, segundo fontes do Conselho Federal de Farmácia. Abrangendo a área de alimentos, análises clínicas e toxicológicas, bioquímica, cosmetologia, gestão, medicamentos, vendas, vigilância sanitária, entre outras.

Minha área de atuação, por exemplo, acontece em Drogaria e as principais atividades que desenvolvo são: atendimento em balcão com atenção farmacêutica, realização de eventos voltados para a promoção da saúde comunitária; gestão de estoque de medicamentos de controle especial e antimicrobianos, via Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC); ministração de cursos para capacitação profissional da equipe; administração de medicamentos injetáveis; envio online de relatórios semanais da movimentação de medicamentos controlados para a ANVISA e apresentação de Mapas Mensais e Anuais da movimentação de Controlados.

Vantagens e desvantagens da profissão

Acredito que os maiores obstáculos desta área não dizem respeito ao mercado de trabalho, que nós sabemos que está bastante competitivo, mas sim ao compromisso que a carreira exige. Por exemplo, no caso da atuação em Drogarias é necessário muita disciplina e seriedade, pois o farmacêutico responde por toda e qualquer diligência do estabelecimento.

No entanto, há ainda muita satisfação em investir nesta profissão. E sempre digo que as vantagens se sobressaem às barreiras que enfrentamos no dia a dia. Isso porque além de possuir uma diversidade de áreas de atuação e especialização, a classe farmacêutica possui um Conselho que realmente nos representa e preza pelo nosso exercício. Além do mais, no Brasil, é visível que há um crescimento e expansão no mercado quando o assunto é saúde.

O perfil do farmacêutico

Um profissional da área de saúde deve priorizar a saúde dos outros. Esta é uma área que exige muito conhecimento, esforço e atualização constante dos estudos, além da ética que deve ser uma característica essencial. Quando eu escolhi a Farmácia como ofício, a elegi porque me encanta o atendimento ao público, a troca de aprendizados, a possibilidade de ajudar as pessoas carentes de informação e a auxiliar em tratamentos de doenças físicas e algumas psicológicas.

Não me arrependo desta escolha e pretendo cada dia mais crescer na carreira para ajudar o maior número de pessoas compartilhando meus conhecimentos. E espero que no Dia Internacional do Farmacêutico, dia 25 de setembro, muitos outros colegas possam compartilhar desta felicidade que sinto por seguir nesta profissão!

Priscilla Queiroz – Farmacêutica

Priscilla Queiroz, farmacêutica

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar