Dia das Crianças 5 atitudes para construir um ambiente saudável por Qual Farmácia

Dia das Crianças: 5 atitudes para construir um ambiente saudável

Diferentemente da idealização que as pessoas têm sobre a maternidade e a paternidade, quando uma criança nasce, também nasce uma nova família. Parece clichê, eu sei. Mas é a mais pura verdade! Afinal, os pais precisam se reencontrar como parceiros, entender a dinâmica dessa relação à três (ou mais, dependendo do caso) e, principalmente, aprender a priorizar as necessidades do bebê. E a gente sabe: cuidar de criança é uma tremenda responsabilidade!

Porém, com essa nova atribuição, também surge o amor. Apesar dos primeiros dias, meses e até anos serem uma bagunça, esse sentimento vai se construindo ali nas pequenezas do dia a dia. E, então, parece que proteger, cuidar, mimar e educar tornam-se aquelas palavras de ordem que a gente executa com satisfação e alegria.

No entanto, muitos pais com receio de errar na educação me perguntam: como tornar o ambiente familiar seguro e saudável para a criança aprender e crescer feliz? Logo abaixo, eu, Juliana Benevides, Psicóloga Perinatal e Parental, dou 5 dicas de atitudes que podem ajudar nesta questão!

Criar um ambiente familiar sadio

O ambiente deve ser acolhedor, com afeto, diálogo e respeito. Não aprendemos a ser pais de uma hora para a outra e trazemos muitas experiências vivenciadas em nossa família de origem. Algumas destas podendo ser ruins e que devem ser refletidas e evitadas.

Então, os pais são os primeiros cuidadores que apresentam o mundo para criança. Eles devem se pautar nos valores e crenças que acreditam. Elogiar os comportamentos positivos, estimular a criatividade e a espontaneidade, ensinar a brincar, saber dizer não, não os rotular por motivo de alguma falta de habilidade, respeitar os limites das crianças, comunicar-se de forma não violenta, corrigir e explicar o porquê de certas condutas serem erradas.

Uma criança feliz tem um vínculo afetivo com os pais

O afeto é essencial para qualquer ser humano. Dessa forma, o vínculo afetivo com os pais pode ser entendido como uma construção ao longo da vida. Portanto, dê atenção aos pequenos gestos do cotidiano por meio de beijos, abraços e orientações.

Assim, essa relação se reforça e ajuda também no fortalecimento da autoestima da criança. Uma criança que é amada, sente que pode ter autonomia para realizar, para crescer, desenvolver-se e, possivelmente, ser um adulto emocionalmente maduro.

Estimule a autoestima da criança

Através do diálogo verdadeiro, da demonstração de amor incondicional, do fortalecimento de suas qualidades e da consciência das suas falhas. Desse modo, a criança pode se amar e, inclusive, repassar esse amor adiante.

Nesse sentido, também vale salientar que as crianças podem cumprir com algumas responsabilidades, como: organizar suas coisas, guardar seus brinquedos e ajudar com alguns serviços de casa, de acordo com sua idade. Esse tipo de incentivo reforça a sensação da criança de se sentir útil e capaz de realizar as atividades que lhe são atribuídas.

Atividades lúdicas são indispensáveis na infância.

O brincar é fundamental porque é por meio dele que a criança conhece o mundo. Ela entra no mundo da imaginação, estimula sua capacidade de criatividade e autenticidade, que são extremamente saudáveis para sua formação e desenvolvimento. Além disso, através das brincadeiras também se aprende diversas habilidades sociais, afetivas e cognitivas.

Tempos modernos: limite o uso de aparelhos tecnológicos!

Os estudos ainda apontam que a interação social real é a melhor e mais efetiva para que as crianças se desenvolvam com todas as habilidades que necessitam. No entanto, alguns pais sabem que a entrada e o conhecimento de tecnologias são importantes, já que essa geração precisa de novos e diferentes estímulos.

Contudo, o limite é essencial, porque existem diversas atividades que também devem ser vivenciadas. Percebe-se que a falta de solidariedade, a empatia, o exercício do afeto, a amizade, resolução de conflitos e outros comportamentos são melhor desempenhados face a face.

Portanto, cabe aos pais negociarem a quantidade de tempo e monitorarem a qualidade das atividades que estão sendo realizadas nos smartphones, tablets e computadores.

Gostou do texto? Tem mais dicas para construir uma infância feliz e saudável? Compartilhe conosco! Nesse próximo Dia das Crianças, vamos transformar o modo de nos relacionar com os pequenos para que o universo deles seja cada vez mais agradável e adequado para se desenvolverem!

Dra. Juliana Benevides - Psicóloga Perinatal e Parental

Dra. Juliana Benevides é Psicóloga formada no Uniceub, especialista reconhecida pelo Conselho Federal de Psicologia em Psicologia Clínica. Coordenadora do grupo de estudos em Psicologia Perinatal e Parental. Especialista em luto e depressão. Ama cuidar da família e ajudar a desvendar a maternidade e a paternidade.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar