Crianças com diabetes tipo 1 receberão novo medicamento pelo SUS por Qual Farmácia

Crianças com diabetes tipo 1 receberão novo medicamento pelo SUS

O diabetes tipo 1, também chamado de diabetes infantil, ocorre quando a criança nasce com uma alteração no pâncreas, impossibilitando assim a produção de insulina. A insulina é um hormônio essencial para transportar o açúcar para dentro das células e evitar que se acumule no sangue. Geralmente, essa variação da doença pode surgir desde as primeiras semanas de vida até os 18 anos de idade.

O tratamento mais comum consiste na aplicação diária de injeções ou bombas de infusão (um aparelho eletrônico que fica conectado ao corpo, liberando insulina de ação rápida 24h/dia) de insulina para monitorar a glicemia (o nível de açúcar do sangue). No entanto, a boa notícia é que a partir de 2018, as crianças poderão contar com um novo medicamento disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS): a insulina análoga.

O fármaco

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos apontam que a insulina análoga além de ser considerada um dos medicamentos mais modernos para o tratamento da doença, também proporciona um melhor controle glicêmico nos sintomas associados à hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue) e diminuição das complicações agudas e crônicas decorrentes do diabetes, como a pressão alta, obesidade, alterações cardíacas, problemas circulatórios e digestivos.

O produto compõe uma caneta, onde a dose pode ser adaptada à situação do paciente e de fácil aplicação. Nos últimos anos, esse tipo de dispositivo tem sido muito usado para tornar mais prática a rotina dos pacientes com diabetes.

Normalmente, essas canetas para aplicação podem ser descartáveis ou reutilizáveis e são constituídas de um cartucho ou refil de insulina e necessitam de agulhas próprias para canetas, que são trocadas a cada aplicação. Nesse sentido, a seleção da insulina se dá pela rotação de um botão onde possui um visor para a verificação da quantidade que se deseja aplicar.

A abordagem

O novo tratamento será oferecido, prioritariamente, às crianças e adolescentes. Conforme pesquisas indicam, a intervenção terapêutica precoce utilizando a insulina análoga evita a dificuldade de aprendizagem, principalmente verbal e de linguagem mais acentuada naquelas que tiveram convulsões por hipoglicemia.

Estima-se que 100 mil crianças serão beneficiadas com esse novo tratamento. Representando ao todo 10% de crianças com diabetes no país, que são de 1 milhão. No entanto, pacientes adultos, com este tipo de doença também poderão ter acesso ao medicamento, desde que tenham prescrição médica.

A doença

Sede excessiva, vontade de urinar toda hora, aumento de fome e emagrecimento acompanhados de visão embaçada, mal-estar, sensação de cansaço, fraqueza e sonolência são os principais indícios do diabetes tipo 1. Os pais que perceberem esses sintomas devem procurar imediatamente a orientação médica.

Apesar do diabetes infantil não ter cura, é fundamental que o paciente siga para o resto da vida com o tratamento medicamentoso, bem como adote um estilo de vida saudável com a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação equilibrada.

Achou nosso artigo interessante? Compartilhe com seus amigos e familiares! Aproveite e curta a nossa página.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar