Como controlar a diabetes tipo 2 com a alimentação? por Qual Farmácia

Como controlar a diabetes tipo 2 com a alimentação?

É sério: é preciso ficar atento quando se fala sobre escolhas saudáveis na hora de montar o nosso prato. Pesquisas recentes puderam comprovar que o número de diabéticos não é baixo e tende a aumentar se não houver ajustes em nossa alimentação diária.

Por isso, se você quer orientações sobre alimentação para prevenir ou controlar a diabetes tipo 2 (uma doença crônica que altera a forma como o organismo processa o açúcar no sangue), acompanhe o post!

Níveis de insulina no organismo

Todos os alimentos que ingerimos contêm algum teor glicêmico — uns mais, como batata-frita, doces, industrializados, e outros menos, como brócolis, pera e iogurte. Isso quer dizer que a cada refeição feita, o açúcar contido nos alimentos é levado à corrente sanguínea. Portanto, se a refeição é rica em açúcares e pobre em fibras, mais açúcar circulará no sangue.

E como evitar isso? Confira nossas dicas de alimentação nos próximos tópicos!

Carboidratos complexos

Sabemos que os carboidratos são convertidos em energia, por isso, mesmo convertidos em açúcar, não devem ser extintos do cardápio, já que contribuem também para a manutenção do organismo e, consequentemente, da saúde.

Visando os benefícios, é interessante investir nos carboidratos complexos, pois a digestão é mais lenta, o que proporciona saciedade por um maior período de tempo. Esses carboidratos ainda favorecem o sistema digestivo, apoiando no fluxo intestinal e na eliminação de toxinas indesejáveis do corpo.

Vegetais

Apoiando na nutrição completa, os vegetais aumentam o fornecimento de vitaminas, minerais, fibras e fitoquímicos importantes para o organismo de quem lida com a diabetes.

O ideal é que metade da refeição seja constituída por esses vegetais, tais como o brócolis, couve-flor, aspargos, cenoura, acelga, pepino, tomate e demais vegetais não amiláceos (o amido é o principal nutriente que compõe esse grupo de alimentos). Evite batata, milho e demais opções com índices glicêmicos mais altos. Vale destacar que a ingestão não é proibida, mas deve ser feita de forma moderada.

Proteínas

Recomenda-se optar por proteínas magras com baixo teor de gorduras saturadas, como os peixes e aves. O salmão se destaca nos cardápios, já que é rico em ômega-3. As fontes de proteínas vegetais também não são descartadas.

Fuja de carnes processadas e congeladas, pois além de conterem alta quantidade de gorduras, ainda são ricas em sódio. Evite o consumo de linguiças, salsichas e similares.

Grãos

Escolha os grãos integrais inteiros, pois têm seus nutrientes preservados, já que passaram por menos processos de refinamento. Eles são fontes de fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos, promovendo ainda a saúde digestiva.

Evite ingerir farinha branca refinada, pois não contribui nutricionalmente e ainda pode prejudicar os níveis de açúcar na corrente sanguínea. Dentre os alimentos refinados a serem evitados, podemos destacar o arroz branco e macarrão.

Laticínios

Contrariando muitas opiniões, pode-se comprovar que o consumo equilibrado de laticínios integrais pode reduzir o risco de diabetes tipo 2. O iogurte grego se destaca como opção láctea e versátil. A porção contém apenas de 6 a 8 gramas de carboidratos, além de ser livre de gorduras.

Esse aliado pode ser interessante para combinações nutritivas em lanches e, principalmente, no café da manhã, que é a principal refeição do dia. Evite o consumo de produtos lácteos com adição de açúcar, como achocolatados e bebidas processadas.

Frutas

Elas são as principais aliadas para driblar o desejo por doces. As frutas ainda podem fornecer fibras e antioxidantes importantes para a saúde geral. O ideal é optar por aquelas com menor índice glicêmico. Entre as melhores opções temos abacate, limão, pera, laranja, mamão, abacaxi. Evite as frutas secas ou em calda, pois têm alta concentração de açúcar.

Gorduras

Alguns tipos de gorduras são realmente importantes, e até promovem a saúde do sistema cardiovascular. Se você deseja investir em alimentos ricos em gorduras mais saudáveis, opte por monoinsaturadas, que também são chamadas de ômega-9. Insira abacates, amêndoas e nozes, azeite de oliva, linhaça, chia.

Evite os alimentos ricos em gorduras trans e saturadas, os quais só podem constituir, no máximo, 10% do cardápio diário total. Elas aumentam o colesterol ruim e ainda podem prejudicar o tratamento da diabetes tipo 2. Fuja de alimentos processados, como lanches, biscoitos recheados, margarina e industrializados em geral.

Devemos admitir que a melhor forma de tratar e controlar a diabetes tipo 2 é investindo em um cardápio equilibrado e rico em nutrientes que previnam picos de açúcar. Pois há uma ampla variedade de alimentos saborosos para inovar no menu diário. Portanto, não perca mais tempo e conquiste uma melhor qualidade de vida, comendo bem e sem prejudicar sua saúde.

Se você gostou de saber como controlar a diabetes tipo 2, deixe seu comentário e compartilhe suas dúvidas e experiências no assunto!

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar