AVC: novo tratamento aumenta chances de recuperação por Qual Farmácia

AVC: novo tratamento aumenta chances de recuperação

Dormência nos braços, fraqueza muscular em apenas um dos lados do corpo, problemas de comunicação, visão turva ou, até mesmo, confusão mental são alguns dos avisos silenciosos do Acidente Vascular Cerebral (AVC), ou derrame como é popularmente conhecido. Quando esses sinais não são percebidos a tempo, os pacientes diagnosticados com AVC podem acabar convivendo com restrições severas ao longo da vida.

Pensando nisso, novos estudos apontam que a Trombectomia Mecânica, ou o tratamento endovascular, é o tratamento do futuro para o AVC. Trata-se de um procedimento que pode prolongar o tempo de vida do paciente após os primeiros sintomas da doença. Aumentando, assim, suas chances de recuperação.

Como funciona 

Às primeiras manifestações do AVC, é necessário que o paciente seja encaminhado com urgência ao médico para realizar exames de neuroimagem (um conjunto de recursos usados para o diagnóstico de doenças que afetam o cérebro).

Ao ser detectado com a doença, os especialistas devem conduzi-lo à cirurgia que consiste em colocar um micro cateter (tubo que pode ser inserido no corpo para injetar medicamentos, desobstruir veias ou efetuar investigações) nas artérias da perna, direcionando-o por dentro das artérias até alcançar a área afetada no cérebro.

Dessa maneira, é feita a remoção rápida e simples dos trombos, êmbolos ou bloqueios que impedem o fluxo de sangue no cérebro. O método tem se mostrado eficaz quando os pacientes tiveram acesso a esse dispositivo entre 6 e 24 horas depois do início dos sintomas do AVC.

Continuidade do tratamento 

Após a realização desse mecanismo, em muitos casos, é indispensável que o paciente faça tratamento com uso de trombolíticos que são medicamentos capazes de dissolver o coágulo que está impedindo a passagem sanguínea.

O interessante é que, atualmente, o procedimento padrão limita-se muitas vezes à utilização desse medicamento como tratamento. Porém, quando aliado a essa nova terapia, é possível potencializar a sua eficácia. Pois a combinação possibilita a recuperação completa do paciente, podendo melhorar desde sintomas mínimos como o restabelecimento da visão à reabilitação da capacidade motora do indivíduo.

Estudos recentes

Os resultados de um estudo realizado pelo médico e professor brasileiro Raul Nogueira, da Emory University Atlanta, dos Estados Unidos, mostraram a efetividade e a segurança no uso desse método. Depois de três meses do AVC,  48,6% do grupo tratado com essa intervenção estavam praticamente sem sequelas.

Apesar da notícia ser positiva, o tratamento no Brasil, que já é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ainda se restringe à rede privada. É esperado que num futuro próximo o Ministério da Saúde passe a disponibilizá-lo na rede pública. Levando assim, mais um mecanismo capaz de proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes que sofrem com o AVC.

Entenda o AVC

Existem dois tipos de AVC, o Isquêmico e o Hemorrágico. O Isquêmico é tido como o mais comum, pois ocorre uma obstrução arterial por um trombo ou coágulo no cérebro. Já o Hemorrágico acontece um rompimento de uma artéria devido a alguma causa que a fragiliza, provocando um derrame no tecido cerebral.

Em ambos os casos, vale estar atento aos seus sinais para evitar que as pessoas afetadas não corram o risco em ficar com sequelas que possam comprometer a sua vida. O AVC é uma doença severa que pode atingir pessoas de idade avançada, portadores de hipertensão arterial, diabetes e hiperlipidemia (“gordura no sangue”), bem como aqueles que têm histórico familiar com AVC.

Por isso, a melhor maneira de se prevenir é redobrar os cuidados e adotar bons hábitos para manter a saúde em dia. O Qual Farmácia sempre ressalta: pratique exercícios físicos regularmente; mantenha uma dieta rica e equilibrada em nutrientes; se for beber, restrinja-se a pequenas quantidades; e, sem dúvidas, siga as recomendações do seu médico.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar