Alopecia: reconheça os primeiros sinais da queda dos cabelos por Qual Farmácia

Alopecia: reconheça os primeiros sinais da queda dos cabelos

Alopecia é o nome dado a qualquer perda de cabelo. Mas, primeiro permitam-me perguntar: você realmente tem uma perda significativa de cabelo? Geralmente, a perda de cabelo se caracteriza pela queda de até 100 fios de cabelo por dia e isso é normal. Porém, é muito difícil determinar isso. Então, procure por um destes sinais de alerta:

  1. Você vê seus cabelos nas suas roupas, travesseiros ou no piso da sua casa?
  2. Seus cabelos ficaram mais finos e menores, especialmente perto da testa?
  3. Você está enxergando seu couro cabeludo?
  4. No caso dos homens, você está perdendo cabelos nas “entradas”?
  5. No caso das mulheres, você está perdendo cabelos na linha central do couro cabeludo?

Os tipos de alopecia

Após essa observação, você identificou alguma característica peculiar sobre os seus cabelos ou na ausência deles? O próximo passo consiste sempre em determinar se a perda dos fios é difusa, padronizada ou localizada. No entanto, mesmo que a autoanálise seja um procedimento básico, somente um médico dermatologista pode dar um diagnóstico definitivo.

  • Perda de cabelo difusa: ocorre uniformemente no couro cabeludo, resultado de um afinamento dos fios, com maior visibilidade do couro cabeludo. Conhecido como Eflúvio telógeno, é mais comum nas mulheres do que nos homens. Pode ocorrer por conta do estresse, doenças hormonais (hipertireoidismo, síndrome do ovário policístico), deficiências nutricionais (anemia, desnutrição proteica, deficiência de zinco), pós-parto, pós-cirurgia, após grandes perdas de peso, uso de algumas medicações (antidepressivos, por exemplo) ou devido à suspensão do anticoncepcional. O quadro normalmente é autolimitado, ou seja, mesmo sem tratamento, o cabelo volta a se recuperar.
  • Perda de cabelo padronizada: neste, a perda de cabelo ocorre em um padrão específico. Na alopecia androgenética (hereditária) ou calvície masculina, a queda ocorre na linha frontal ou no vértice do cabelo. Na calvície feminina, a perda ocorre no centro da cabeça, alargando a separação central dos cabelos. Ao dividir os cabelos no centro, a área calva parece uma árvore de Natal. Por ter fundo genético, o tratamento retarda a progressão do problema, mas não garante o retorno dos fios.
  • Perda de cabelo localizada: a perda deixa áreas arredondadas em qualquer área do couro cabeludo. Ocorre em doenças auto-imunes. Pode ser cicatricial, ou seja, aonde o cabelo caiu, não volta a nascer mesmo com tratamento, como no lúpus ou liquen plano. Ou pode ser não cicatricial, por exemplo na alopecia areata ou tinha do couro cabeludo, com grande chance de recuperação dos fios após tratamento.

Tratamento

O tratamento da perda de cabelo é prescrito pelo dermatologista considerando a causa, a gravidade, o gênero, o diagnóstico e a duração da queda do cabelo. Os medicamentos mais comuns utilizados para a perda de cabelo são:

  • Minoxidil: ajuda no recrescimento do cabelo, independentemente da causa ou padrão de perda de cabelo, exceto nos casos em que a raiz do cabelo esteja fibrosada ou morta.
  • Vitaminas: são suplementos para repor perdas nutricionais ou para reduzir o estresse sobre os cabelos.
  • Soros de crescimento: estes soros contêm estimulantes de crescimento de cabelo natural ou sintético, juntamente com vitaminas.
  • Finasterida: é um medicamento receitado para conter o avanço da queda de cabelo, normalmente usado para tratar calvície.
  • Esteroides: os esteroides tópicos e, por vezes, orais são usados para tratar as doenças de cabelo autoimunes, como a alopecia areata.
  • Procedimentos: realizados em associação com os tratamentos orais ou tópicos, são usados nos casos mais resistentes ou para acelerar e estimular ainda mais o crescimento dos fios. São realizados no consultório (intradermoterapia, microagulhamento, lasers) ou em centro cirúrgico (transplante capilar).

Contudo, é válido salientar que nenhum desses métodos devem ser adotados por conta própria. Antes de se desesperar e apelar para receitas mirabolantes e milagrosas, investigue! Não acompanhe as mudanças dos fios somente pelo espelho. Procure um médico dermatologista, ele com certeza poderá examiná-lo para orientá-lo da melhor forma possível.

E lembre-se: além de ser um elemento essencial para a sua autoestima, cuidar dos cabelos também é uma questão de saúde!

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar