7 erros que você não deve cometer ao tomar antibióticos por Qual Farmácia

7 erros que você não deve cometer ao tomar antibióticos

Tomar antibióticos para tratar uma doença implica não só em fazer uso do remédio, mas também em ter alguns cuidados para garantir que o medicamento seja eficaz contra o que está fazendo mal ao organismo. Contudo, nem todos se atentam a isso e acabam se expondo a riscos, como uma intoxicação ou o agravamento da doença.

A seguir, listamos alguns erros comuns que as pessoas cometem durante um tratamento com antibióticos, para que você possa evitá-los. Confira!

1. Tomar antibióticos sem prescrição médica

automedicação é sempre sinônimo de risco. No caso dos antibióticos, deve-se considerar que é preciso saber o tipo de bactéria a ser combatida para não atacar a flora natural do corpo e para que o organismo não crie resistência a medicamentos específicos.

2. Não verificar a validade do remédio

Esse é um erro comum e grave, pois resulta em intoxicações, além de não tratar a doença em questão. Quem sofre de infecções recorrentes deve ficar atento aos medicamentos que já tem em casa. Caso sejam encontrados remédios vencidos, vale lembrar que eles não devem ser descartados no lixo comum. Muitas farmácias possuem lixos adequados para o descarte dessas substâncias.

3. Não ingerir a dose recomendada

Quando um médico prescreve um tratamento, ele considera não apenas a doença a ser tratada, mas também o quadro geral do paciente, sua idade, seu peso e a presença de outras doenças.

Por isso, se o paciente decidir, por conta própria, fazer uso de mais ou menos remédios do que o prescrito, há risco do medicamento não fazer efeito, de ocorrer intoxicação e de, até mesmo, agravar a doença.

4. Esquecer de tomar a medicação

O intervalo entre uma dose do remédio e outra leva em consideração o tempo em que a concentração dele cai pela metade na corrente sanguínea (a chamada “meia-vida”). Por isso, se o remédio deve ser ingerido de 8 em 8 horas, por exemplo, essa orientação deve ser seguida rigorosamente para que o paciente sinta o efeito e para que as bactérias combatidas não tenham tempo de criar resistência ao medicamento.

5. Interromper ou estender o tratamento sem orientação médica

Assim que um tratamento é iniciado e o remédio começa a fazer efeito, o paciente se sente melhor. Quando isso acontece, ele acha que já se livrou daquilo que lhe fazia mal e que pode deixar de tomar o medicamento prescrito, o que não é recomendável.

Caso não conclua o tratamento, a pessoa pode reapresentar os sintomas e as bactérias causadoras da infecção podem desenvolver uma resistência ao antibiótico inicialmente usado.

Estender o tratamento também não é bom e não garante “maior proteção”. Pelo contrário, o paciente se expõe ao risco de intoxicação e o organismo pode deixar de reagir ao medicamento.

6. Combinar medicamentos

Adicionar remédios ao tratamento é tão ou mais perigoso do que se automedicar com apenas um tipo de medicamento, pois a interação entre as substâncias pode causar desde o anulamento do efeito de um ou de todos os remédios até consequências graves para a saúde do paciente.

Quem já toma algum tipo de medicação e não conta ao médico que está prescrevendo o tratamento também se expõe a esse risco. É importante que o profissional seja informado sobre a medicação já utilizada e que o paciente siga à risca suas orientações.

No caso dos antibióticos, as principais interações medicamentosas acontecem com anticoncepcionais.

7. Misturar os antibióticos com álcool

álcool pode tanto anular o efeito do antibiótico quanto potencializá-lo. No segundo caso, ao contrário do que a ideia de potencialização possa sugerir, a interação não provoca uma recuperação mais rápida e sim uma intoxicação. Por isso, enquanto durar o tratamento, deve-se abrir mão das cervejinhas, vinhos e e outras bebidas alcoólicas.

Vale lembrar que o líquido ideal para a ingestão de antibióticos, como também de outros medicamentos, é a água e que eles não devem ser ingeridos durante as refeições, pois pode haver alterações em relação ao eu efeito.

Gostou das nossas dicas sobre os erros que não devem ser cometidos ao se tomar antibióticos? Para saber um pouco mais sobre o assunto, leia o post “Por que as bactérias estão mais resistentes aos antibióticos?“.

Leia ϟ comentários

ϟ Comentários

Voltar Comentar